10 de jul de 2006

Comercialização


O mercado brasileiro de pequenas frutas ainda é incipiente porém com um futuro bastante promissor. A industria (iogurte, geléias, sorvetes, bebidas, etc...) importa quase toda matéria-prima, quase sempre congelada (IQF-Individually Quick Frozen) e o chile é o fornecedor mais importante.
O uso destas frutas no dia a dia é bastante limitado ainda em função justamente da baixa oferta, porém países da Europa e EUA usam em larga escala nos produtos mais diversos. Indicadores mostram que demanda interna é muito maior do que a oferta, fazendo com que os preços estejam atualmente em patamares muito elevados. A unica cotação oficial que se encontra no país é a cotação do CEAGESP-SP onde aparece de novembro a janeiro e a um preço médio de R$45,00 o Kilo (Framboesa In Natura)
Em estudo de mercado realizado recentemente na cidade de São Paulo foi possível identificar nichos específicos varejistas que estão dispostos a comprar diretamente de produtores, desde que haja uma padronização de qualidade e embalagem adequada, além obviamente de volume elevado.
Pode-se concluir que o mercado para frutas in natura é o que paga melhor preço ao produtor, no entanto é preciso uma logistica de distribuição muito eficiente pois a perecibilidade é o fator mais limitante, já que qualidade permanece adequada somente de 2 a 6 dias, em função da variedade.
(Framboesa- 2 dias; Amora- 5 dias; Mirtilo- 6 dias- Válido para acondicionamento em câmaras frias a temperatura de 4 graus centigrados)